Parceiros

@INSTAGRAM

terça-feira, 16 de maio de 2017

Bonito/Feio?


Estes dias, mais especificamente no dia 11 de maio de 2017 de acordo com o youtube, eu estava vendo um video da minha amada Jout Jout e me deparei com essa magnífica frase.

AS PESSOAS NÃO ESTÃO AÍ PRA AGRADAR SEU SENSO ESTÉTICO

Quantas vezes você já se olhou no espelho e viu algo que não lhe agradava? Não dá para contar certo? Acho que não existe uma pessoa no mundo que nunca passou por essa situação (é claro que eu não posso falar por todas as pessoas no mundo, mas uma grande maioria das pessoas que eu tenho conhecimento passa por isso). Este pode ser só mais um texto clichê da internet falando sobre como você deve se aceitar, mas talvez você deva parar para lê-lo.
Mas vamos falar mais especificamente dessa coisa de não estar aí para agradar o senso estético de outras pessoas. Tem um livro que eu amo que se chama “As Vantagens de Ser Invisível” e nele tem um garoto chamado Charlie, que é o protagonista. Charlie em algum momento do livro se vê em uma situação que ele está vendo revistas e nas capas dessas revistas “e toda vez que tinha uma mulher na capa, ela estava mostrando o colo dos seios.” ele fica pensando sobre aquilo, sobre o porque de todas aquelas mulheres posarem daquele jeito, se elas estariam felizes por estarem em capas de revistas, se os namorados delas estariam felizes por elas, se adolescentes se masturbariam vendo aquelas capas, o que elas pensariam se soubessem disso. Você já havia pensado nisso? Acho que é muito provável que não. Mas uma das possíveis respostas para o questionamento de Charlie do por que delas posarem desse jeito é que elas querem agradar o senso estético de outras pessoas. Isso passa despercebido por nós quase sempre e nós olhamos as capas de revistas e apenas pensamos que são mulheres fúteis ou algo do tipo, mas no fundo elas estão apenas buscando algo que todos nós estamos, a aceitação.
Mas Nami, quando nós não nos adequamos ao senso estético alheio muitas vezes podemos perder oportunidade como vagas de empregos por exemplo. Bem, mas acho que deveria haver um grande movimento chamado: Foda-se ao senso estético. Obviamente que não de um dia para o outro que você vai mudar, mas pense que você pode mudar o jeito que se veste, pintar o cabelo, fazer cirurgias e então estar mais ou menos como te querem, mas no fundo sempre vai haver aquele imperfeição que não muda. Eu poderia dizer “ah, mas você não vai ser mais você depois de tantos procedimentos estéticos”, mas acho que seria uma injustiça com as pessoas que curtem esse tipo de coisa. O que eu quero dizer é que não vai ter como você agradar o bonito/feio de todo mundo. Veja o vídeo abaixo e você vai entender melhor:



Se você ficou com preguiça de assistir o vídeo, basicamente ela diz que cada um tem seu bonito e feio, também diz uma frase que é como: se você não acha um bicho bonito é porque você não soube reconhecer a beleza dele. Isso faz todo sentido se você for parar para pensar. Por que tem pessoas que acham gatos tão fofos e pessoas que acham bichos asquerosos? Por que tem pessoas que acham preto uma cor super daora, amo usar e outros que não gostam de chegar nem perto, que coisa mais triste? A beleza sempre vai ser subjetiva e é assim que você também vai ser. Quando você estuda ciências humanas você vai começar a estudar que arte é subjetiva, muitas vezes não agrada de cara ou a muitas pessoas, mas todas têm o seu valor. Bem, assim também é com os seres humanos. Acredito que cada ser humano é único e especial e assim como as obras de arte subjetivos em sua beleza. Então essa coisa de você ser universalmente bonito ou feio realmente não se aplica aqui.

Em uma série do Youtube do canal VSAUCE se faz uma experiência em que pessoas devem escolher, somente pela a aparência, com quem eles desejam trabalhar. Após essa escolher o intermediador trocar os papéis e sabe o que acontece? Mesmo em casos onde há duas vagas e algumas pessoas optem por trabalhar com uma delas por questão de senso estético ao trocarmos os papéis sem que a pessoa note ela vai achar uma justificativa para a pessoa que não foi escolhida porque no fundo não faz diferença contanto que se acredite que é a pessoa certa. Viu? No fundo nem é tão importante assim a sua aparência física.